Ministro russo confirma o resgate de 10 corpos

Avião militar caiu no Mar Negro com 92 pessoas a bordo

Asia Setentrional e Central
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

De acordo com informações da agência Sputinik News, dez corpos de vítimas do acidente com o avião militar Tu-154, que caiu no Mar Negro neste domingo (25) com 92 pessoas a bordo, foram encontrados pelos navios de resgate.

O Ministério da Defesa russo informou que mais de três mil pessoas fazem parte das equipes de buscas. "A operação de buscas conta com 27 navios, 37 mergulhadores, quatro helicópteros, drones e submarinos de operação remota. Mais de cem mergulhadores de grandes profundidades com equipamentos especiais serão enviados à área do acidente em breve" declarou o ministro.

O avião militar russo caiu no Mar Negro neste domingo (25), cerca de 20 minutos após decolar da cidade de Sochi. Segundo autoridades russas, não há sobreviventes na queda da aeronave, que levava 84 passageiros e oito tripulantes.

A lista de passageiros incluía 64 membros do grupo Alexandrov Ensemble, entre eles sua líder, Valery Khalilov. O grupo é o coro oficial dos militares russos, conhecido como o coro do Exército Vermelho, e também inclui uma banda e uma companhia de dança. O Alexandrov foi fundado na época soviética, em 1928, e adotou o nome do seu pioneiro, Alexander Vasilyevich Alexandrov, autor do hino da Rússia.

Também estava a bordo Yelizaveta Glinka, uma médica russa elogiada por seu trabalho de caridade. A fundação dela disse que Glinka acompanhava o envio de remédios para um hospital na Síria. Nove jornalistas russos de três emissoras de televisão do país estavam a bordo.

O Ministério da Defesa disse que o avião que caiu foi construído em 1983 e havia passado por manutenção preventiva em 2014.

 

 

 

Fonte:BAND

Reditado para:Noticias do Stop 2016

Fotografias:Getty Images/Reuters/EFE/AFP