Infra-estruturas animam crescimento de Boane

O MUNICÍPIO da vila de Boane investiu no ano passado cerca de 32 milhões de meticais na construção de novas infra-estruturas

Maputo
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

O MUNICÍPIO da vila de Boane investiu no ano passado cerca de 32 milhões de meticais na construção de novas infra-estruturas com vista a dar uma imagem atractiva à autarquia e melhores condições de vida aos munícipes.

 

A construção do novo mercado, cemitério, Estrada Circular ligando 11 bairros, melhoria do sistema de saneamento e provisão de água potável são algumas realizações que conferem visibilidade à recém-criada autarquia.

Algumas destas obras foram feitas com financiamento do Município e outras com base em parcerias com vários investidores.

Segundo Jacinto Loureiro, presidente do município da vila de Boane, esforços têm sido feitos a cada dia no sentido de desenvolver a autarquia e oferecer os serviços que os cidadãos tanto necessitam.

 “A construção da Estrada Circular de Boane e do novo cemitério são alguns exemplos dos trabalhos que realizámos, que demonstram o crescimento da vila. A estrada vai ajudar milhares de moradores de diversos bairros que faziam longas distâncias a pé para chegarem à vila. Em Boane existia apenas uma área onde se enterrava corpos, no meio de uma mata, e nós achámos que isso não era digno e preparámos um espaço de quatro hectares e erguemos o cemitério”, precisou.

No tocante às actividades económicas, foram concluídos os trabalhos de construção de um novo Mercado Municipal, que já  está em funcionamento, substituindo o anterior, que se encontrava em avançado estado de degradação.

“O novo mercado foi entregue com cerca de 400 bancas, que permitiram integrar vendedores que se encontravam a vender na rua, porque o antigo mercado já não oferecia condições”, explicou Loureiro.

Acrescentou que cerca de 750 vendedores informais foram sensibilizados pelo Município e já se encontram dentro do mercado a exercer as suas actividades sem correr riscos, como acontecia nos locais onde operavam.

Jacinto Loureiro disse que os residentes da vila de Boane ressentem-se também da insuficiência de serviços sociais básicos, como energia eléctrica, Saúde e Educação, apesar dos avanços registados com a municipalização.

Sublinhou que no geral o provimento de água potável melhorou bastante nos últimos tempos, pese embora se registem alguns problemas decorrentes da seca.

Por outro lado, a aquisição de mais contentores e camiões para a recolha de lixo permitiu abranger residentes de vários bairros nos planos de saneamento da autarquia.

Na componente de energia eléctrica, acrescentou, o Município encontra-se de braços atados, uma vez que toda e qualquer acção visando a electrificação dos bairros deve passar por uma concertação com a Electricidade de Moçambique (EDM).

 

 

Fornecido por: Da jornalnoticias.co.mz 2016 ( STOP)

Stopmznews