o Centro Regional de Excelência em Estudos de Engenharia e Tecnologia de Petróleo e Gás

Maputo
Typography

O Ministro da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional, Jorge Nhambiu, inaugurou recentemente, em Maputo, o Centro Regional de Excelência em Estudos de Engenharia e Tecnologia de Petróleo e Gás - CS-OGET, uma unidade orgânica

da Universidade Eduardo Mondlane que funciona na Faculdade de Engenharia cuja função principal é a investigação científica.
Trata-se de um centro que deve ter um conjunto de recursos físicos, de conhecimentos, de tecnologias e de metodologias, reunido por iniciativa de lideranças que almejam alcançar e manter a supremacia em um campo escolhido, a valorização contínua e sustentada dos elos da rede formada e das pessoas que conduzem os trabalhos, bem como a geração de produtos, processos ou serviços de alta qualidade para uso próprio ou no mercado.
Segundo Nhambiu, a responsabilidade de acolher o Centro de Excelência numa área prioritária para o País e para região, é um desafio de trabalhar com afinco para concretizar os objectivos de contribuir para que mais jovens talentos moçambicanos e da região tenham acesso aos cursos de Mestrado e Doutoramento nas diferentes vertentes das áreas de Engenharia do Petróleo e Gás, criando o ambiente académico e oferecendo os meios mais adequados para uma formação robusta e adequada às exigências do mercado laboral.
É neste prisma que o Ministério da Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico-Profissional (MCTESTP) abraça a iniciativa deste projecto na perspectiva de articular o desenvolvimento qualitativo da Ciência e Tecnologia, dos Ensinos Superior e Técnico-Profissional, com vista à indução do crescimento e desenvolvimento socioeconómico de Moçambique.
Como explica Nhambiu, a materialização do Centro Regional de Excelência em Estudos de Engenharia e Tecnologia de Petróleo e Gás está alicerçada nas acções que visam a promoção do saber nacional, valorização da riqueza culto-sócio-económica, apoio à inovação tecnológica e investigação aplicada.
Para o efeito, a mesma conta com a contribuição de instituições subordinadas e tuteladas, pelo MCTESTP, como a Academia de Ciências de Moçambique, o Fundo de Nacional de Investigação e a Empresa Nacional de Parques de Ciência e Tecnologia, e Instituto Nacional de Tecnologias de Informação e Comunicação.
“Estamos aqui para encorajar o treinamento profissional e a formação académica, apoiar as iniciativas de investigação de indivíduos e instituições académicas públicas e privadas, visando o seu alinhamento com as prioridades estratégicas do Governo”, disse o ministro.
Num outro desenvolvimento, o ministro recordou que é compromisso do Governo, nas suas estratégias operacionais, veicular e disseminar os resultados da investigação científica, aconselhar as entidades estatais e privadas e a sociedade no geral, sobre o uso da ciência e tecnologia para a produção de bens e serviços que propiciem o almejado desenvolvimento socioeconómico do País.
É neste contexto que oGoverno, através do sector de Ciência e Tecnologia, Ensino Superior e Técnico Profissional, estimula o incremento da inovação tecnológica e da investigação aplicada nestas instituições, por ser um imperativo para que os nacionais se apropriem das ferramentas de produção de conhecimentos que lhes permitem gerar cadeias de valor para os abundantes recursos naturais existentes no País, e desse modo, alavancar a sua economia para o desejado patamar de bem-estar para todos os moçambicanos.
Importa referir que neste exercício, o MCTESTP está envolvido no apoio a cerca de 50 IES, entre públicas e privadas. É através destas instituições que o Governo cumpre o seu desiderato de criação de oportunidades para a formação académica à nível superior de milhares de jovens moçambicanos, capacitando-os para ocuparem o seu lugar nas diferentes frentes do combate em prol do alívio da pobreza e desenvolvimento do País.

 


Fonte:RM
Reditado para:Noticias do Stop 2017

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS