resultantes da falta de pagamento de horas extras a professores

Maputo
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

O Presidente da República, Filipe Nyusi, insurgiu-se, esta quarta-feira, contra dívidas elevadas, resultantes da falta de pagamento de horas extras a professores.


Filipe Nyusi fez esta constatação durante a reunião do Conselho Consultivo do Ministério de Educação e Desenvolvimento Humano, onde Soube que o ministério está com uma dívida acumulada de cerca de um milhão e duzentos mil meticais.
Para o chefe de Estado, este é sinal evidente de má gestão e deficiente planificação.
A falta de assiduidade dos professores e, sobretudo, fraca mentalidade e atitude produtiva tem estado a comprometer a qualidade do ensino, disse o Presidente da República.
No ministério da Educação e Desenvolvimento Humano, o Chefe de Estado mostrou-se, igualmente, agastado com o abandono de obras deste pelouro, e sublinhou que o governo vai tomar medidas.
O Chefe de Estado fez uma visita surpresa à Escola Secundária Francisco Manyanga, tendo ficado desapontado com o cenário que encontrou. A caixa de reclamação, por exemplo, não era aberta desde 2014.
O Presidente Filipe Nyusi visitou, sucessivamente, o Instituto de Educação Aberta e à Distância, as Direcções Nacionais de Desenvolvimento da Educação, de Certificação, Exames e equivalência e de Ensino Primário.
Não obstante as dificuldades, o chefe de Estado elogiou o facto de a direcção nacional de exames, certificação e equivalências ter estado a conseguir tomar o controlo efectivo dos exames.

 


Fonte:RM
Reditado para:Noticias do Stop 2017

Stopmznews