24
Seg., Jan.
0 New Articles

Covid-19. Palma ultrapassa meta de vacinação

Cinco mil e quatrocentas pessoas foram vacinadas contra a covid-19, no distrito de Palma, na província de Cabo Delgado.

As previsões do sector da saúde apontavam para a imunização de perto de quatro mil e trezentas e cinquenta pessoas.

Ministro da Defesa Nacional quer fim do terrorismo este ano

O Ministro da Defesa Nacional, Cristóvão Chume, reafirmou que este ano é decisivo para o combate ao terrorismo no país.

Cristóvão Chume dirigia-se aos oficiais superiores de vários ramos de defesa nacional, no prosseguimento do vigésimo segundo Conselho Coordenador do Ministério da Defesa Nacional.

Oito professores mortos e mais de 120 mil alunos afectados em 2021

Oito professores foram mortos e 123.433 alunos do ensino geral foram afectados em 2021 no conflito armado em Cabo Delgado, no norte de Moçambique, disse o Ministério da Educação.

Das vítimas, quatro professores eram de Muidumbe e os restantes dos distritos de Nangade, Palma e Macomia, disse Gina Guibunda, porta-voz do Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano (Minedh) de Moçambique.

Concluída limpeza à vila de Mocímboa da Praia

Está concluída a limpeza da vila municipal de Mocímboa da Praia, em Cabo Delgado, afectada por acções terroristas.

O edil local, Cheia Momba, diz que resta, agora a reposição de algumas infra-estruturas destruídas pelos terroristas.

Forças moçambicanas anunciam captura de líder terrorista

As Forças de Defesa e Segurança (FDS) moçambicanas anunciaram a captura de um líder do movimento insurgente, natural da Tanzânia. A detenção foi feita em Cabo Delgado, no norte de Moçambique.
O detido, identificado como Ali, tem 39 anos e é natural da Tanzânia. Foi capturado em Nangade juntamente com outros seis rebeldes, de acordo com a edição desta terça-feira (18.01) do diário Notícias.

A situação humanitária piorou

Violações dos direitos humanos aumentaram em Moçambique devido à violência em Cabo Delgado, denuncia a Human Rights Watch. Organização aponta também o dedo às forças de segurança moçambicanas.
No capítulo dedicado a Moçambique do seu relatório anual, publicado esta quinta-feira (13.01), a organização não-governamental concluiu que os combates entre as forças governamentais e os grupos islamitas no norte do país contribuíram

Mais artigos...