11
Qui., Ago.
0 New Articles

Ocidente tenta "últimos esforços" para resolver crise russo-ucraniana

O ocidente tenta "os últimos esforços" para evitar uma invasão de Kiev por Moscovo, numa altura em que a tensão entre a Rússia e a Ucrânia sobe de tom.
Nas últimas horas, foram ouvidas várias explosões no centro de Donetsk, no leste da Ucrânia, região controlada pelos separatistas pró-russos, segundo a agência Reuters.

Primeiros funerais da tragédia em Murree começam a ser celebrados no Paquistão

Começaram no Paquistão os funerais das mais de 20 vítimas mortais da tragédia nas montanhas de Punjab.De acordo com a doutrina, os funerais islâmicos têm de ser realizados no espaço de três dias e este domingo decorreram já os primeiros.Em Rawalpindi, foram enterradas seis pessoas, todas da mesma família, incluindo quatro crianças. Em Lahore, decorreu o funeral de outras duas vítimas.

"Quem não se render será eliminado", avisa presidente do Cazaquistão

O presidente do Cazaquistão, Kassym-Jomart Tokayev, autorizou as forças de segurança a abrir fogo sobre os manifestantes que se insurgem no país e a disparar para matar.

Momentos depois de, esta sexta-feira, o governo cazaque ter confirmado a morte de 26 civis em protestos, Tokayev dirigiu-se à nação, para culpar os manifestantes a quem chama "terroristas", "criminosos" e "assassinos". O chefe de Estado deixou ainda o aviso: "Quem não se render será eliminado".

NATO apela a fim da violência no Cazaquistão

O secretário-geral da NATO apelou ao fim da violência no Cazaquistão e ao respeito dos Direitos Humanos, nomeadamente "o direito a manifestações pacíficas e à liberdade de expressão", depois de uma semana de protestos e motins que se saldaram em dezenas de vítimas mortais.

Um apelo feito no mesmo dia em que o presidente cazaque autorizou as forças da ordem a "disparar para matar".

Revolta no Cazaqustão: Mais de 160 mortos e seis mil detidos numa semana

Mais de 160 mortos e cerca de seis mil detidos é o mais recente balanço dos protestos em curso há exatamente uma semana no Cazaquistão e que se tornaram numa revolta civil contra o regime no poder desde a independência desta antiga república soviética.

ONU apela a contenção de tropas no Cazaquistão

O secretário-geral da ONU, António Guterres, lançou um apelo à contenção das forças militares nacionais e extrangeiras presentes no Cazaquistão.

O mais recente balanço dos protestos e motins no país aponta para 12 polícias mortos, bem como dezenas de manifestantes.

Esta quinta-feira, chegaram ao Cazasquistão tropas russas, em resposta ao pedido de assistência do presidente cazaque, uma intervenção seguida com apreensão pelo Ocidente.

Michel Aoun promete "a verdade" sobre violência em Beirute

Beirute transformou-se numa zona de guerra na quinta-feira com trocas de tiros nas ruas entre fações políticas.Pelo menos seis pessoas foram mortas e dezenas ficaram feridas nas mais violentas lutas na capital libanesa em anos.

O incidente surgiu das crescentes tensões em torno da investigação judicial da enorme explosão do ano passado no porto de Beirute.

Mais artigos...