24
Seg., Jan.
0 New Articles

Forças russas da CSTO iniciam retirada do Cataquistão após estabilização da revolta

Política
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times
AplicLoja Windows 11 Pro

O contigente militar russo afeto à Organização do Tratado de Segurança Coletiva (CSTO) começou a retirada do Cazaquistão após a alegada estabilização da revolta popular contra o governo liderado pelo Presidente Qasym-Jomart Toqayev.

As forças CSTO foram mobilizadas para auxiliar o governo cazaque a reprimir a revolta em curso há pouco mais de uma semana e meia nesta antiga república soviética, liderada pela mesma força política desde a independência há 30 anos.

O general russo que lidera a missão da CSTO no Cazaquistão, Andrey Serdyukov, agradeceu pessoalmente aos militares o trabalho efetuado.

"Num curto período de tempo vocês conseguiram garantir segurança aos cidadãos, dar assistência para a estabilização da situação e assegurar o funcionamento tranquilo de locais vitais", sublinhou o líder da primeira missão em cenário real das chamadas Forças de Paz da CSTO.

A revolta e a consequente repressão pelas autoridades provocou mais de 160 mortos, incluindo pelo menos 18 elementos das forças da segurança.
Um dos militares cazaques que perderam a vida nos confrontos com os manifestantes mais violentos foi o coronel Sandybek Khairov. O funeral decorreu esta quinta-feira, na presença de soldados e da família do militar.

Regresso à normalidade
Em Almaty, entretanto, a cidade que se tornou epicentro da revolta, a situação começa aos poucos a voltar ao normal. Os transportes públicos e a maior parte das lojas e restaurantes estão de novo em atividade.

O Presidente manifestou, pelas redes sociais (tweet ao lado), o agradecimento aos cidadãos que manifestaram "patriotismo e unidade na luta contra os extremistas".

"Agora, o país está a entrar numa nova fase de desenvolvimento. Este será um período de verdadeira renovação. Vamos construir um Cazaquistão feliz e próspero juntos", expressou Qasym-Jomart Toqayev.

A revolta começou a 2 de janeiro no leste do país como um protesto contra os aumentos do preço do gás. O atrito subiu de tom e alastrou pelo Cazaquistão, com vários incidentes violentos em edifícios públicos, incluindo esquadras da polícia, agravando a revolta contra o regime no poder desde 1991 através, primeiro, dos partidos liderados até 2019 por Nursultan Nazarbayev e agora por Toqayev.


Fonte:da Redação e da euronews
Reeditado para:Noticias do Stop 2022
Outras fontes • AFP, AP, TASS
Material Informático - www.aplicloja.com
Receba diariamente no Grupo STOPMZNWS poderá ler QRCOD
Link do Grupo WhatsApp - https://chat.whatsapp.com/JUiYE4NxtOz6QUmPDBcBCF
Qual Duvida pode enviar +258 827606348 ou E-mail:Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Em criação o Aplicativo o APP que ira ver notícias diariamente em seu celular Fotografias:Getty Images/Reuters/EFE/AFP/Estadão

AplicLoja Microsoft Office 2022 Pro Plus
Stopmznews