24
Seg., Jan.
0 New Articles

Barril de petróleo volta a estar acima dos 80 dólares

Economia
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times
AplicLoja Windows 11 Pro

Pelo segundo dia consecutivo, o indíce Brent, que serve de referência às exportações angolanas, voltou a abrir acima dos 80 dólares. Para já não há qualquer impacto do anúncio da OPEP+ de aumento da produção em 400 mil barris/dia a partir de Fevereiro.

O preço do barril de petróleo no mercado de Londres, índice Brent, volta a ultrapassar a barreira dos 80 dólares, a última vez que tinha acontecido foi a 25 de Novembro, recordando que no 1 de Dezembro o mercado abriu com preço de 69,8 USD, o que significa que nos últimos 35 dias o preço aumentou cerca de 11 USD.



Muito deste crescimento aconteceu nas duas últimas semanas, sendo que passou de um valor de abertura de 71,88 USD no dia 21 de Dezembro para os 80,31 USD de hoje. Uma das justificações prende-se com o elevado consumo que acontece nesta altura do ano, mas também o facto de os preços do gás estarem a bater recordes e das principais economias do mundo estarem com perspectivas de crescimentos robustos para este ano, ajudam.

O facto de OPEP+ ter anunciado que os produtores da organização vão colocar no mercado mais 400 mil barris/dia a partir de Fevereiro, não teve para já qualquer impacto nos preços. Recorde-se que deste aumento, 15.000 são atribuídos a Angola, que fica agora com um tecto máximo 1,421 milhões barris/dia, muito acima da actual produção do País, que se situa nos 1,1 milhões barris/dia.

 

 

 


Fonte:da Redação e da angonoticias.com
Reeditado para:Noticias do Stop 2022
Receba diariamente no Grupo STOPMZNWS WhatsApp
Grupo WhatsApp - https://chat.whatsapp.com/JUiYE4NxtOz6QUmPDBcBCF
Qual Duvida pode enviar +258 827606348 ou Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Em criação o Aplicativo o APP que ira ver notícias diariamente em seu celular Fotografias:Getty Images/Reuters/EFE/AFP/Estadão

AplicLoja Microsoft Office 2022 Pro Plus