02
Sáb., Jul.
0 New Articles

Plataformas informativas digitais obrigadas a provarem legalidade

Angola
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times
AplicLoja Windows 11 Pro

A actualidade angolana volta a ser dominada em torno da liberdade de imprensa, com a decisão das autoridades de Luanda de solicitarem às plataformas informativas digitais do país de provarem a legalidade da sua actividade.


O Ministério das Telecomunicações, Tecnologias de Informação e Comunicação Social, notificou mais de dez plataformas digitais e outras publicações jornalísticas para fornecerem a documentação sobre o seu estado de legalização e proprietários, com o objectivo do seu mapeamento e organização administrativa.

A medida foi acolhida com desconfiança pela classe jornalística e sociedade civil angolana que tem criticado as limitações à liberdade de imprensa, com o reforço do controlo da comunicação social pelo Estado, que tem o monopólio do sector.

A comunicação social é, neste momento, um dos temas fracturantes do debate político em curso no quadro da preparação das eleições gerais, previstas para o próximo mês de Agosto. Em Angola, os meios de comunicação social públicos são os mais desenvolvidos e capazes de cobrir todo o território.

Para o MISA-Angola a decisão das autoridades “em véspera de eleições”, dá a ideia “de que há algum receio” da cobertura mediática por parte dos organismos de comunicação social privados.

 

 

 

 

 

 

 

 


Fonte:da Redação e da rfi
Reeditado para:Noticias do Stop 2022
Outras fontes • AFP, AP, TASS, EBS
Material Informático - www.aplicloja.com
Receba diariamente no Grupo STOPMZNWS poderá ler QRCOD
Link do Grupo WhatsApp - https://chat.whatsapp.com/JUiYE4NxtOz6QUmPDBcBCF
Qual Duvida pode enviar +258 827606348 ou E-mail:Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.
Em criação o Aplicativo o APP que ira ver notícias diariamente em seu celular Fotografias:Getty Images/Reuters/EFE/AFP

AplicLoja Microsoft Office 2022 Pro Plus
Stopmznews