Professor é retirado de avião por causa de equação

Matemática: professor de economia aproveitou o tempo para resolver uma complexa equação matemática, mas a grafia do problema chamou a atenção da passageira ao lado

Matemática
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

Um professor de economia da renomada Universidade da Pensilvânia foi retirado de um voo da American Airlines e interrogado sob suspeita de terrorismo na semana passada, quando se preparava para decolar do aeroporto de Filadélfia.

 

De acordo com o jornal britânico Guardian, Guido Menzio viajava para Ontario, no Canadá, onde iria proferir uma palestra na Queen’s University.

Antes mesmo da aeronave sair do portão de embarque, o professor de economia aproveitou o tempo para resolver uma complexa equação matemática.

A grafia do problema chamou a atenção da passageira sentada ao lado, que acionou as autoridades por achar que o problema poderia ser também o planejamento de um atentado.

Em depoimento publicado nas redes sociais, Menzio classificou a experiência como "inacreditável".

De acordo com o seu relato, a passageira que estava sentada ao seu lado entregou um papel à aeromoça, onde relatava se sentir mal. No entanto, quando o avião retornou ao portão de embarque, a mulher - que não teve o nome revelado pela companhia - disse que não estava mal de saúde, mas havia desconfiado do comportamento do homem ao lado.

"Eles me contaram que ela pensou que eu fosse um terrorista, porque eu estava escrevendo coisas estranhas em um pedaço de papel. Eu os levei de volta à aeronave e mostrei meus estudos matemáticos".

Segundo a American Airlines, a companhia seguiu os protocolos estabelecidos diante da situação. Menzio, no entanto, criticou o sistema e disse que passou pelo constrangimento por conta da inabilidade das autoridades em rastrearem reais suspeitos.

O voo decolou com mais de duas horas de atraso, e a passageira responsável pela denúncia foi alocada em outro avião.

 

 

 

 

Fonte: EXAME

Reditado por: Stop Noticias 2016

 

Tópicos:Matemática, Ciência, Terrorismo