CONCESSIONADAS 12 ROTAS DE “CHAPAS” EM MAPUTO

transporte de passageiros em 12 rotas que ligam o centro da cidade de Maputo à periferia será confiado a três entidades até ao final deste ano.

Maputo
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

O transporte de passageiros em 12 rotas que ligam o centro da cidade de Maputo à periferia será confiado a três entidades até ao final deste ano.Trata-se de rotas do centro da cidade para Tchumene, Mozal, Boane, Infulene, Socimol, Patrice Lumumba e T3,

bem como Marracuene via Costa do Sol e Zimpeto,
Com efeito, foi lançado ontem um concurso público para a selecção dos operadores das rotas, agrupadas em três lotes, na área metropolitana de Maputo.
Simão Mataruca, do Ministério dos Transportes e Comunicações, e João Matlombe, do município de Maputo, explicaram ontem que a concessão abrange a maior parte do mercado, ficando os “chapeiros” com uma cota diminuta.
Cada entidade deverá colocar até 51 autocarros, com um mínimo de 60 lugares cada, em rotas como Baixa-Boane, 45 na Baixa/Mozal, 45 para Baixa/Tchumene e 42 na ligação entre o centro da capital e a Matola (Godinho).
O segundo operador deverá alocar 36 machimbombos que vão partir da Baixa ou Museu para Patrice Lumumba, 30 com destino a T3, via Estádio da Machava, e 30 para Socimol. O terceiro deverá colocar 20 para o transporte entre Baixa e Marracuene, passando pela Costa do Sol e Zimpeto.
Na maior parte destas rotas, os concessionários vão ficar com 60 por cento do mercado, cabendo aos restantes a outra cota.
A entrega de propostas encerra a 17 de Agosto. Quinze dias depois as autoridades vão indicar os três vencedores, que vão iniciar a mobilização para a operação.
Os candidatos vão apresentar a proposta de tarifa para cada rota que deve passar pela aprovação das autoridades. Acredita-se que a medida vai contribuir para a melhoria da qualidade do serviço.
O operador é obrigado a alocar um número suficiente de autocarros e terá que cumprir horários, estando proibido de encurtar rotas.

 

 

 

Fonte:da Redação e Por RM
Reditado para:Noticias do Stop 2017

Stopmznews