Dois reclusos que tinham sido libertados num ataque a um carro celular

Maputo
Typography

Dois reclusos que tinham sido libertados num ataque a um carro celular, em Maputo, a 24 de Abril, foram encontrados mortos numa cova, a 70 quilómetros a noroeste da capital, escreve a Agência de Informação de Moçambique (AIM).


Os corpos de José Coutinho e Alfredo Muchanga foram descobertos na sexta-feira por residentes no distrito de Moamba e posteriormente identificados por familiares na morgue do Hospital Central de Maputo.
O local foi filmado por uma equipa da televisão privada STV e os habitantes nas imediações relataram ter ouvido tiros no dia em que os dois presos foram levados do carro prisional.
José Coutinho era um dos três suspeitos do homicídio, há um ano, do procurador Marcelino Vilanculo, que investigava raptos de homens de negócios e que envolveriam o próprio Coutinho.
Dos três suspeitos do assassínio de Vilanculo, só um, Amade António, está preso, dado que Abdul Tembe escapou em Outubro, levando na altura à detenção do director e guardas da prisão.
A forma como aconteceu o ataque ao carro celular na baixa de Maputo, há 12 dias, está a ser investigada.
A Procuradoria-Geral da República de Moçambique anunciou ter sido "ordenada uma averiguação com vista a apurar as circunstâncias que determinaram a fuga, para posteriores procedimentos legais".
Na altura, quatro homens encapuzados saíram de um veículo ligeiro que barrou do caminho do carro celular e abriram fogo, afugentando os guardas e levando consigo José Coutinho e Alfredo Muchanga.

 

Fonte:RM
Reditado para:Noticias do Stop 2017

BLOG COMMENTS POWERED BY DISQUS