MAIS DE 500 CELULARES APREENDIDOS NA CADEIA

NA POSSE DE RECLUSOS: MAIS DE 500 CELULARES APREENDIDOS NA CADEIA

Maputo
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

Mais de 500 telefones celulares foram apreendidos nos últimos dias das mãos de reclusos do Estabelecimento Penitenciário de Maputo, outrora Cadeia Central.

 

Segundo a Direcção Geral do Serviço Nacional Penitenciário (SERNAP),citada pelo jornal Notícias, os telefones chegaram às mãos dos reclusos ali encarcerados por esquemas pouco claros, envolvendo os próprios guardas prisionais. Nesta ilegalidade, há ainda o registo da conivência dos familiares dos detidos que transportaram os aparelhos celulares até ao estabelecimento penitenciário.

Falando há dias no âmbito de uma visita efectuada ao Estabelecimento Penitenciário de Maputo pelo Ministro da Justiça, Assuntos Constitucionais e Religiosos, Isaque Chande, o porta-voz do SERNAP, Samo Gonçalves, disse que foram ainda apreendidas dos reclusos, quantidades significativas de drogas e armas brancas, com destaque para facas chaves-de-fenda. Explicou que para além de constituir perigo dentro das celas, isto em caso de brigas entre reclusos, os instrumentos contundentes podem ser usados para preparar fugas.

“O regulamento dos estabelecimentos penitenciários do país refere que, de forma periódica, deve ser feita revista às celas dos reclusos. É na sequência desta acção que foram apreendidos estes celulares e armas brancas. Dependendo da situação, cada recluso encontrado com celular é alvo de um novo processo criminal e/ou disciplinar. No caso de processo disciplinar, o mesmo é conduzido a uma cela isolada a fim de se corrigir”, explicou Samo Gonçalves, indicando ainda que os telemóveis serão incinerados. 

Não exclui a possibilidade de os telemóveis serem usados pelos condenados para enviar mensagens para cidadãos incautos cá fora, muitas delas de carácter intimidatória e de extorsão.

Vezes sem conta, referiu a fonte, cidadãos têm recebido chamadas ou mensagens, anunciando, por exemplo, que ganharam um determinado prémio, mas que para o receber o vencedor deve se dirigir a um banco para efectuar um depósito ou comprar recargas de telemóvel de valores altos para as enviar a um determinado número de telefone, num autêntico esquema de burla.

A antiga Cadeia Central de Maputo acolhe neste momento 2.744 reclusos.

 

 

 

 

 

Fornecido por:Rm.vo.mz 2016 ( Stop.co.mz )

Stopmznews