Macron fecha escolas mas não adia eleições

Macron fecha escolas mas não adia eleições

Europe
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

No dia em que o primeiro-ministro português anunciou o encerramento temporário de todas as escolas do país, o presidente francês anunciou a mesma medida.Durante uma comunicação ao país transmitida pela televisão, Emmanuel Macron falou do impacto

do coronavírus como a crise sanitária mais grave do século e anunciou as medidas para conter a expansão da doença.
"Estamos apenas no início desta epidemia e, em toda a Europa, ela está a acelerar, está a intensificar-se. Perante esta realidade, a prioridade número um para a nossa nação será a nossa saúde".
Macron decidiu manter as eleições municipais marcadas para este domingo, apelando ao cuidado e à responsabilidade dos eleitores. Garantiu ainda que, para já, as fronteiras nacionais não vão ser encerradas.
"Este vírus não tem passaporte. Precisamos de unir forças, coordenar as nossas respostas, cooperar. A França está a trabalhar arduamente, a coordenação europeia é essencial. Sem dúvida que teremos de tomar medidas, mas elas devem ser tomadas para reduzir o comércio entre as zonas afetadas e as que não estão. E estas não são necessariamente fronteiras nacionais. Não deve haver facilidade, não deve haver pânico."
Depois da Itália, França é o país da Europa mais afetado pela pandemia. Segundo os últimos dados, há 2.281 contaminados no país. Por causa do coronavírus, já morreram48 pessoas.


Fonte:da Redação e da EURONEWS
Reeditado para:Noticias do Stop 2020
Receba diariamente o STOP em seu WhatsApp
Envie um WhatsApp para +258 827606348 para receber notícias diariamente em seu celular
Fotografias:Getty Images/Reuters/EFE/AFP/Estadão