Maioria dos venezuelanos ainda enxerga Maduro como presidente

Maioria dos venezuelanos ainda enxerga Maduro como presidente

América do Sul
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

Pesquisa feita pela Ideia Big Data mostrou que oposição na Venezuela tem um grande desafio: consolidar a legitimidade de Juan Guaidó,Embora grande parte da comunidade internacional tenha se posicionado ao lado de Juan Guaidó, presidente da

Assembleia Nacional da Venezuela, na posição de presidente interino do país, a maioria dos venezuelanos ainda considera Nicolás Maduro como presidente.
Moura, que conduz pesquisas de opinião na Venezuela desde 2011, lembrou, ainda, de outro levantamento feito há cerca de um mês. Nele, o nível de apoio ao político opositor como presidente era de 40%, enquanto a percentagem de pessoas que disse não apoiar Maduro foi de 76%. “Esse ponto chama a atenção, pois, apesar de o apoio ao chavista ter despencado, as pessoas ainda o enxergam como presidente”, analisou o executivo.

Outro ponto trazido à tona pela pesquisa foi o da aceitação dos venezuelanos da ajuda humanitária angariada por Guaidó e que se tornou um ponto de tensão entre a comunidade internacional, especialmente a Colômbia e o Brasil, e Maduro. 44% das pessoas revelou ser a favor da entrada dessa ajuda no país e 34% se manifestou contra.

“Aqui, o que percebemos no contato com as pessoas é que a propaganda chavista, que apresenta a ajuda humanitária como uma ‘invasão norte-americana’ pode estar funcionando e é a primeira vez que temos um dado corroborando essa hipótese”, explicou Moura. 17% dos entrevistados disse não saber se é a favor ou contra e 5% não responderam.
A questão migratória também foi abarcada pela consulta da Ideia Big Data, e uma que mostrou como os venezuelanos estão divididos sobre a possibilidade de sair ou não da Venezuela em razão da escalada na tensão política observada em 2019. Nesse tema, a maioria (32%) disse não saber, 28% preferiu não responder e 21% falou que os episódios recentes não aumentou a sua vontade de deixar o país e 19% contou que sim.

“Já tem uma leva grande de pessoas que deixaram a Venezuela nos últimos meses”, notou Moura, “e quem ficou para trás, percebemos que é por não ter alternativas. Analisando friamente, contudo, vemos que quase 20% da população deseja ir embora do país, uma percentagem bastante alta”.

Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU), há, atualmente, 3,4 milhões de refugiados e migrantes da Venezuela em todo o mundo, mas projeções apontam que esse número irá aumentar ainda mais até o fim de 2019. De acordo com a Organização Internacional para Migração, a expectativa é a de a quantidade de venezuelanos fugindo do país atinja a marca de 5,3 milhões.

A pesquisa realizada pela Ideia Big Data teve mil respostas e a margem de erro é de 2,5 pontos percentuais para cima ou para baixo.

As entrevistas, nas cidades de Caracas, Maracaibo, Valencia, Barquisimeto e Ciudad Guyana, foram conduzidas em um ambiente de nervosismo, descreveu Moura.

“A situação está mais tensa e percebemos isso pela quantidade de pessoas que se dispuseram a responder, que despencou na comparação com outros levantamentos, e pelo número de pessoas que ouviu as perguntas e não quis responder. Na minha experiência no país, nunca senti um clima de tanta apreensão”, terminou o executivo.


Fonte:da Redação e com agências
Reeditado para:Noticias do Stop 2019
Receba diariamente o STOP em seu WhatsApp
Envie um WhatsApp para +258 827606348 para receber notícias diariamente em seu celular
Fotografias:Getty Images/Reuters/EFE/AFP/Estadão

Stopmznews