Iraque anuncia libertação de Mosul das mãos do EI

Asia Ocidental
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

O primeiro-ministro do Iraque, Haider al-Abadi, anunciou neste domingo (9) a libertação da cidade de Mosul da dominação do grupo terrorista Estado Islâmico. A localidade era a terceira maior do país antes do conflito e era considerada a 'capital do califado'

no Iraque desde 2014.
Para celebrar a vitória militar, Abadi viajou até Mosul e cumprimentou os líderes militares das forças armadas que atuam na região desde que uma ofensiva foi iniciada em 17 de outubro de 2016.
No entanto, apesar das celebrações, moradores relataram que ainda é possível ouvir alguns disparos e pequenas explosões por todo o território, em pequenos redutos jihadistas. Imagens das emissoras iraquianas ainda mostram pessoas fugindo da Cidade Velha, como é conhecido o centro local, mas a área já conta com muitos militares iraquianos.
Ainda é possível ver a destruição no local, onde quase nenhum grande prédio sobreviveu aos intensos combates.
Mosul era uma cidade estratégica para o Estado Islâmico, tanto pelo seu tamanho como pela grande quantidade de petróleo que possui. Com a venda do combustível, os terroristas conseguiam financiar suas campanhas e seus ataques contra Bagdá. Além disso, pela proximidade com o rio Tigre, o local tornou-se um ponto de escoamento de armas e contrabando.
Apesar da importante vitória militar, o grupo ainda ocupa uma faixa de cerca de 400 quilômetros no território iraquiano.

 

 

 

 

 

 


Fonte:da Redação e Por Da Ansa
Reditado para:Noticias do Stop 2017
Fotografias:Getty Images/Reuters/EFE/AFP