Ataque aéreo destrói importante mesquita de Mosul

Coalizão norte-americana nega autoria do ataque

Asia Ocidental
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

A emblemática mesquita de al-Nuri, em Mosul, no Iraque, e o seu mirante, foram destruídos nesta quarta-feira (21) após serem alvos de uma explosão.


Até o momento, o Exército iraquiano culpou o Estado Islâmico de ter realizado o ataque, enquanto o grupo terrorista afirmou que a destruição foi causada pelas frotas aéreas norte-americanas, que fazem parte da coalizão com o Iraque.
"Nossas forças estavam avançando em direção aos alvos no interior da 'Cidade Antiga' e quando chegaram a uns 50 metros da mesquita de al-Nuri, o Daesh (como é chamado o EI em países árabes) cometeu outro crime histórico explodindo a mesquita", afirmou o tenente-general Abdul Amir Yarallah, comandante responsável pela ofensiva a Mosul, em um comunicado.
Pouco tempo depois, no entanto, o grupo terrorista declarou através da sua revista eletrônica, a Amaq, que um avião norte-americano pertencente da coalizão com as tropas iraquianas tinha sido o verdadeiro culpado da explosão.
A coalizão liderada pelos Estados Unidos no Iraque negou ter realizado o ataqu. Segundo o coronel Ryan Dillon, um dos porta-vozes, da coalizão, o templo foi realmente alvo de uma explosão, mas não norte-americana como o grupo Estado Islâmico afirma. "Não conduzimos um ataque aéreo na área naquele momento", disse Dillon.
A mesquita de al-Nuri ganhou fama internacional em 2014 quando o líder do Estado Islâmico, Abu Bakr al-Baghdadi, fez uma rara aparição no espaço para proclamar a criação do seu califado.

 

 

 

Fonte:da Redação e Por Ansa
Reditado para:Noticias do Stop 2017
Fotografias:Getty Images/Reuters/EFE/AFP