Ataques aéreos em região de Mossul matam mais de 20 membros do EI

Asia Ocidental
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

Pelo menos 23 membros do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) morreram neste domingo por bombardeios de aviões iraquianos no noroeste de Mossul e em uma cidade da província de Ninawa (norte), informou a direção de Inteligência e Segurança Nacional.

Os bombardeios tiveram como alvo duas oficinas de carros-bomba e dois quartéis em onde havia combatentes estrangeiros e iraquianos, segundo um comunicado do corpo de segurança.

Os ataques aéreos foram realizados no bairro de Al Yamalia, no noroeste de Mossul, e na cidade de Al Ebra, situado na comarca de Tal Afar, cerca de 75 quilômetros ao oeste da capital regional.

A direção de Inteligência e Segurança Nacional afirmou que a aviação iraquiana continua atacando as posições do EI e destruindo suas maquinaria de guerra a fim de paralisar suas capacidades de combate e terminar com seus quartéis.

A ofensiva para expulsar o EI da província de Ninawa começou em outubro e agora está parada após ter sido concluída a libertação da metade leste de Mossul há duas semanas.

O Exército iraquiano está se preparando para dar início às operações para atacar o oeste de Mossul, cidade conquistada em 2014 pelo EI e que continua sendo o principal reduto dos jihadistas no Iraque.

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte:EFE

Reditado para:Noticias do Stop 2017

Fotografias:Getty Images/Reuters/EFE/AFP