27
Ter., Out.
0 New Articles

Johnny Depp é o ator menos rentável de Hollywood em 2015

pagos aos protagonistas. Os filmes estrelados por De

Entretenimento
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

Johnny Depp foi o ator menos rentável de Hollywood em 2015, segundo um ranking divulgado nesta terça-feira pela revista americana Forbes, que comparou os lucros obtidos pelos filmes com os salários

pagos aos protagonistas. Os filmes estrelados por Depp deram 1,20 dólar de lucro por cada 1 dólar recebido pelo ator.

Depp ficou o título por causa de papéis em filmes como Mortdecai: A Arte da Trapaça, que arrecadou 47 milhões de dólares em bilheteria apesar do custo de 60 milhões de dólares para produzi-lo. Outro fracasso foi Transcendence: A Revolução, que apenas recuperou os 100 milhões de dólares investidos em sua produção.

Denzel Washington, cujos últimos filmes arrecadaram 6,50 dólares por cada dólar recebido por ele, ficou com a segunda posição do incômodo ranking da Forbes. Completou o pódio o humorista Will Ferrel, com 6,80 dólares para cada dólar recebido, pouco a frente de Liam Neeson (7,20 dólares por cada dólar de cachê) e Will Smith (8,6 dólares por cada dólar investido).

Na lista também aparecem os atores Christian Bale (US$ 9,20 de lucro por cada dólar recebido), Channing Tatum (US$ 10,8 por US$ 1), Brad Pitt (US$ 12 por US$ 1), Ben Affleck (US$ 12,30 por US$ 1) e Tom Cruise (US$ 13,60 por US$ 1).

A revista elaborou o ranking baseando-se nos três últimos filmes que cada ator protagonizou antes de junho de 2015, excluindo animações, longas nos quais eles apareceram em papéis secundários ou produções que foram exibidas em menos de 2 000 salas de cinema.

Piratas e Oscar

Por incrível que pareça, a primeira indicação de Johnny Depp ao Oscar veio com o inusitado personagem Jack Sparrow, do filme Piratas do Caribe: A Maldição do Pérola Negra (2003). A produção dá início a uma das franquias mais lucrativas do cinema (que já soma mais de 3,8 bilhões de dólares em bilheteria) e também à parceria de Depp com Gore Verbinski, diretor com quem o ator se identificou e fez, mais tarde, outros filmes.