Bancos comerciais com regras mais ajustadas

Apesar da crítica que circula à volta do sistema bancário, Chagas Rangel acredita que houve uma evolução positiva, no que diz respeito ao cumprimento da compliance

Angola
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

A problemática à volta das normas de compliance no sistema bancário nacional diminuiu a margem de manobra dos bancos comerciais, afirmou recentemente o presidente da Comissão Executiva do Banco Keve, Arlindo das Chagas Rangel,

aquando da inauguração de mais uma agência em Luanda, perfazendo um total de 55.

Apesar da crítica que circula à volta do sistema bancário, Chagas Rangel acredita que houve uma evolução positiva, no que diz respeito ao cumprimento da compliance.

“Nos últimos três anos saiu um conjunto regulatório que põe o nível da regulação da banca em Angola nos patamares internacionais.”

Em relação ao banco do qual é presidente da Comissão Executiva, Arlindo das Chagas Rangel disse que há um comprometimento com as normas de compliance e a ética. Aliás, o Banco Keve, SA tem sido rigoroso na formação dos quadros, no âmbito da matéria focada, face à importância no exercício da actividade bancária e financeira.

“Neste aspecto, o que mais nos preocupa é principalmente a ética”, afirmou o presidente do Comissão Executiva do Banco Keve, disposto a acatar todas as normas regulamentares do Banco Nacional de Angola (BNA), tendentes a adequar o sistema bancário angolano ao internacional, que é uma das prioridades do órgão regulador.

“Se o regulador disser que nos devemos adequar às normas internacionais, estamos aqui para cumprir os regulamentos em vigor e os posteriormente instituídos”, declarou Arlindo das Chagas Rangel, tendo depois informado que o Banco Keve goza de boa saúde financeira, dissipando assim qualquer dúvida a respeito da capacidade de liquidez.

Modelos de administração

Relativamente ao actual paradigma de constituição do conselho de administração dos bancos comerciais (um dos itens a ser reformulados pelo regulador), na perspectiva de Arlindo Rangel, enquanto presidente do Comissão Executiva, o Banco Keve tem adoptado um figurino muito próximo dos padrões internacionais, o “modelo dual”.

De acordo com a explanação do PCE do BK, Ngeva Rangel, no modelo dual há um conselho de administração, do qual emana uma comissão executiva, constituída por onze administradores, dos quais seis são não-executivos e os restantes cinco executivos.

“Este figurino respeita e está dentro dos parâmetros internacionais”, disse.

 

 

 

 

 

 

Fonte:Angonoticias

Reditado por:Noticias Stop 2016

Stopmznews