Lucas Ngonda na «corda bamba»

Para o membro efectivo do Bureau Político da FNLA João Castro

Angola
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

s militantes Laíz Eduardo, Tristão Ernesto e João Longo são os novos rostos visíveis da FNLA que contestam a liderança de Lucas Ngonda, na sequência das expulsões verificadas na cúpula deste partido. 

 

Durante uma conferência de imprensa realizada em Luanda, os membros do secretariado extinto e alguns militantes acusaram o presidente do partido de abusos à Constituição e aos estatutos do partido. Segundo o relatório apresentado por Tristão Ernesto e Laís Eduardo, durante os últimos 15 meses o actual presidente da FNLA não indicou um vice-presidente e afastou “arbitrariamente” dirigentes e quadros, o que, supostamente, originou o sentimento de desmotivação entre os militantes. 

O sociólogo Lucas Ngonda foi ainda acusado de incapacidade para promover actos políticos de massas, de provocar o empobrecimento contínuo do partido e de causar a desestruturação total da FNLA na diáspora. Pendem sobre o presidente da FNLA, ainda, a acusação de omitir as denúncias de corrupção e de, depois de eleito, ter confiado assuntos estratégicos a membros da sua família e impedir o exercício dos direitos, liberdades e garantias dos militantes consagrados na Constituição da República de Angola . 

Para o membro efectivo do Bureau Político da FNLA João Castro, o partido vive sérios problemas que devem ser resolvidos com urgência, para que as eleições decorram harmoniosamente, além de que também defendeu a “retirada imediata” do presidente Lucas Ngonda. “A solução, do meu ponto de vista, é irreversível. Só com a saída de Lucas Ngonda da presidência da FNLA, porque ele é teimoso, não tem projectos para o desenvolvimento da FNLA.

 

 

 

 

 

Fonte:Angonoticias

Reditado por: Stop Noticias 2016

Stopmznews