Apelo dos Bispos ao diálogo e à ponderação

O padre Quintino Kandandji, que concedeu a entrevista por ocasião do Dia da Liberdade de Imprensa

Angola
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

A Conferência Episcopal de Angola e São Tomé e Príncipe (CEAST) pediu, ontem, em comunicado, calma e ponderação entre a direcção da Rádio Ecclesia e a delegação da União Europeia, na sequência da repercursão causada por uma entrevista concedida

há dias ao Jornal de Angola pelo director da emissora católica. O director da emissora católica denunciou a existência de organizações internacionais que financiam órgãos de comunicação social em Angola com vista a derrubar o poder actual. 

O padre Quintino Kandandji, que concedeu a entrevista por ocasião do Dia da Liberdade de Imprensa, assinalado terça-feira, revelou que aceitou devolver 149 mil euros à União Europeia por a Rádio Ecclesia, propriedade da CEAST, não concordar com essa imposição.

No comunicado, o Conselho Permanente da CEAST disse esperar que a Rádio Ecclesia feche quanto antes este dossier e sublinha ser pelo diálogo, transparência, justiça, paz e respeito entre as Instituições. 

O documento acentua que os prelados tomaram conhecimento, pelo director da Rádio Ecclesia, na plenária realizada em Março na cidade de Ndalatando, da existência de um remanescente no valor de 149 mil euros que seriam devolvidos à Delegação da União Europeia em Angola por não poderem ser redirecionados para nenhum outro projecto. 

A CEAST acentua, no comunicado, que os prelados nunca foram informados nem menos alertados que tais financiamentos tinham como fins os anunciados pelo director da Rádio Ecclesia. A Rádio Ecclesia, desde que retomou as suas emissões, se assumiu como um espaço, um meio de propagação do Evangelho, da informação imparcial, da educação cívica e patriótica, da cultura da paz, do diálogo, da justiça e da democracia, tendo em vista a dignidade da pessoa humana, lê-se no comunicado da CEAST, que, quanto às declarações do padre Quintino Kandandji, diz lamentar a ocorrência e os aproveitamentos políticos.

A CEAST esclarece que “os vários gestores da Rádio, no decorrer dos anos, buscaram várias parcerias, dentro e fora do país, para dar corpo ao projecto, embora, com o tempo, algumas dessas parcerias se tenham revelado menos adequadas ao perfil da linha editorial” da emissora católica em Angola.

Em reacção às declarações do director da Rádio Ecclesia, a delegação da União Europeia em Angola confirmou na quarta-feira, em comunicado, ter contribuído em 58,86 por cento para o financiamento de um projecto da emissora, destinado, entre outros objectivos, a “contribuir para que os cidadãos estejam melhor informados”. No documento, a delegação da União Europeia afirma que o valor devolvido pela Ecclesia é o remanescente de um total de 234.736,00 euros que, entre Fevereiro de 2012 e Março de 2014, a organização transferiu para os cofres da Rádio Ecclesia para programas de apoio à cidadania.

 

 

 

 

Fonte: Angonoticias

Reditado por: STOP 2016

Stopmznews