12
Qua., Ago.
1 New Articles

UNITA concorda com pedido de Angola ao FMI

UNITA concorda com pedido de Angola ao FMI

Angola
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

O Presidente da UNITA, Isaías Samakuva (Na foto), pediu mais rigor na gestão dos recursos financeiros, e maior controlo da despesa pública, para fazer face ao actual momento económico que o país vive. 

 

Em declarações à RNA, na Província do Huambo, Isaías Samakuva disse esperar que o apoio pedido, por Angola, ao Fundo Monetário Internacional (FMI) possa servir para implementar programas, que ajudem a estabilizar a situação económica do país. 

Entretanto, as autoridades angolanas esperam iniciar as reuniões com o FMI em meados deste mês, durante as próximas Reuniões da Primavera em Washington, Estados Unidos da América. Estas reuniões deverão ter continuidade pouco depois, já em Angola, para definir o âmbito das medidas de política económica a serem tomadas no quadro do Programa de Financiamento Ampliado (Extended Fund Facility - EFF). 

Ciente de que a elevada dependência do sector petrolífero representa uma vulnerabilidade para as finanças públicas e para a economia de forma mais ampla, o Governo entendeu apostar, ainda mais, no reforço das apostas no sector não-petrolífero. 

Os esforços sustentados ao longo de muitos anos para promover a diversificação económica já resultaram num aumento significativo de 69.1% da contribuição do sector não-petrolífero para o PIB, em comparação com os 40% nos meados dos anos 80. No entanto, o sector petrolífero ainda representou mais de 95% das receitas de exportação e 68% das receitas fiscais em 2015. 

O Executivo angolano que está comprometido com os objetivos de diversificação económica do Plano Nacional de Desenvolvimento 2013-17, e considera relevante a preservação da estabilidade macroeconómica, devendo ser apoiada por um ambicioso programa de reformas macroeconómicas.

 

 

 

 

Fornecido por:Angonoticias 2016 ( Stop.co.mz )

 

Stopmznews