06
Sex., Dez.
0 New Articles

País contará com nova matrícula de viaturas

Paulo de Almeida assegurou que a implementação do novo modelo de matrícula proporcionará um maior controlo às autoridades.

Angola
Typography
  • TPL_TYPO_TOOL_SMALLER TPL_TYPO_TOOL_SMALL TPL_TYPO_TOOL_MEDIUM TPL_TYPO_TOOL_BIG TPL_TYPO_TOOL_BIGGER
  • TPL_TYPO_TOOL_DEFAULT TPL_TYPO_TOOL_HELVERICA TPL_TYPO_TOOL_SEGOE TPL_TYPO_TOOL_GEORGIA TPL_TYPO_TOOL_TIMES

Decreto que determina a criação de nova matrícula para viaturas será aprovada oportunamente, anunciou nesta quarta-feira, em Luanda, o segundo comandante-geral da Polícia Nacional, Paulo de Almeida. 

 

O responsável fez este pronunciamento à imprensa, na qualidade de porta-voz da primeira reunião ordinária em 2016 do Conselho Nacional de Viação e Ordenamento de Trânsito (CNVOT), orientada pelo vice-presidente da República, Manuel Domingos Vicente. 

Paulo de Almeida sublinhou que o novo modelo de matrícula visa garantir maior segurança, porquanto serão incluídos dados susceptíveis de facilitar a identificação das viaturas, cujas características serão definidas num Decreto que será aprovado oportunamente. 

O responsável precisou que as chapas de matrículas não serão produzidas de forma vulgar, mas por uma entidade que será determinada num concurso que será promovido para o efeito na devida altura. 

Paulo de Almeida assegurou que a implementação do novo modelo de matrícula proporcionará um maior controlo às autoridades. 

Por outro lado, anunciou a aprovação, ainda sem data, de um outro Decreto que determinará novas regras para as escolas de condução, no sentido de prestarem um serviço passível de melhorar a qualidade de ensino dos automobilistas. 

Com esta medida, as autoridades pretendem promover a habilidade, exigência no cumprimento do código de estrada e responsabilidade, referiu o porta-voz do encontro. 

“Este processo visa corrigir as deficiências que algumas escolas apresentam e, concomitantemente, a má formação dos condutores”, acrescentou. 

A reunião analisou as questões que enfermam o trânsito no país, nomeadamente o estado das estradas, a iluminação pública e a habilidade dos condutores. 

Relativamente ao relatório da sinistralidade rodoviária de 2015, o responsável disse que o mesmo apresentou um saldo relativamente melhor em relação ao ano anterior. 

“Houve uma redução na ordem de 30 porcento dos acidentes e 26 porcento a nível das vítimas”, relatou o porta-voz, que defendeu a necessidade de se continuar a reforçar e aperfeiçoar as medidas traçadas em 2015. 

Criado em 2013, o Conselho Nacional de Ordenamento de Trânsito visa apoiar o Titular do Poder Executivo na formulação de políticas para a prevenção e segurança rodoviárias.

 

 

 

 

Fornecido por:Angonoticias 2016 ( Stop.co.mz )

Stopmznews