22
Seg., Out.
5 New Articles

Oposição angolana desapontada com visita de João Lourenço

Oposição angolana desapontada com visita de João Lourenço

Angola
Typography

Oposição angolana lamenta que, nos dois dias da visita à província do Huambo, o Presidente João Lourenço não tenha tido tempo para se encontrar com os vários partidos. Os partidos da oposição angolana ficaram insatisfeitos por não constarem da agenda

oficial do Presidente da República na sua visita de dois dias à província central do Huambo.
Daniel Almeida, secretário provincial da Convergência Ampla de Salvação de Angola - Coligação Eleitoral (CASA-CE), gostava que João Lourenço se tivesse encontrado com os opositores. “O Presidente chegou e nós, como partidos políticos, não fomos convidados, pelo menos para o receber no aeroporto", afirma. "Vimos as autoridades tradicionais e religiosas, mas nós, os partidos políticos, não fomos tidos nem achados."
O secretário do Partido de Renovação Social (PRS) no Huambo, António Soliya, também lamenta o sucedido. Soliya culpa o Governo local por não estar interessado em mostrar ao Presidente angolano a realidade vivida pela população na província.
"Vimos que, à última hora, o Governo provincial ficou preocupado em pintar as principais ruas e edifícios desabitados", comenta. "Estamos tristes, porque um encontro como este [com a oposição], num governo participativo e inclusivo, seria testemunhado por todos."
Oposição espera melhorias
Durante a visita à província do Huambo, o Presidente angolano orientou, na terça-feira (28.08) a 8ª sessão do Conselho de Ministros, em que foram aprovados uma proposta de lei que regula o exercício da atividade religiosa e o Regime Jurídico de Proteção Social Obrigatória.
Na quarta-feira, a província acolheu a segunda reunião do Conselho de Governação Local (CGL), onde foram discutidos assuntos relacionados com a gestão das províncias, nomeadamente a construção de estradas ou o processo de recrutamento de professores e médicos no país. Antes do regressar à capital, o Presidente angolano, inaugurou a nova central térmica de Belém, a 11 quilómetros da cidade do Huambo, que deverá fornecer energia elétrica a cerca de 100 mil moradores das cidades do Huambo e de Caála.
Liberty Chiaka, secretário provincial da União Nacional para a Independência Total de Angola (UNITA), espera que a visita do Presidente da República se traduza em resultados económicos e sociais concretos na vida das populações, que enfrentam muitas dificuldades apesar do grande potencial da província.
"Nós gostaríamos que o Presidente constatasse esta dura realidade, para que se tomem medidas no sentido de dinamizar a execução das políticas públicas e, em particular, do orçamento geral da província", afirmou.
No entanto, Dainel Ameida, da CASA-CE, não acredita que a visita de João Lourenço traga melhorias: "O Presidente da República fez várias promessas na campanha eleitoral e até hoje não vimos nada!", conclui.


Fonte:da Redação e Por angonoticias.com
Reditado para:Noticias do Stop 2018